Inteligência coletiva

Existem 2 tipos de profissionais em relação à "posse da informação": 1- aqueles que se apropriam da informação e não a repassam e 2- aqueles que se preocupam em compartilhar a informação para beneficiar a inteligência coletiva. Não estamos falando aqui de compartilhar informação com os concorrentes quando estamos tentando vender para um mesmo cliente (somos vendedores e vendedores devem sempre ter trunfos de informação na mão!). Não... Estamos falando da informação que é compartilhada com nossos clientes, nossas equipes internas, nossos fornecedores.. Estamos falando da importância que é elevar o nível de inteligência coletiva desses grupos para que o processo produtivo - e de vendas - ganhe eficácia e celeridade.

Quando um cliente encontra um vendedor que tem facilidade para transmitir a informação de uma forma acessível, oportuna, completa (sem ser inadequada) e ainda assim, simples (sem ser simplória), ele percebe o vendedor como alguém que pode ser interessante escutar. E ele escuta. Ele escuta porque quer entender como ele e a empresa dele podem crescer, diversificar, focar, melhorar - e não exatamente porque quer escutar a lista de funcionalidades do software que lhe está sendo apresentado (informação que ele pode não saber como tratar).

É quando nós propiciamos um conjunto de informações e um ambiente propício e acessível para a independência na coleta e assimilação da informação pelo cliente, que ele tem a chance de converter isso que estamos oferecendo em algo de real valor para ele e para o contexto onde está inserido, aumentando, por sua vez, a inteligência coletiva do seu ambiente e acelerando as suas próprias providências para a ação!

Um detalhe importante: como vendedores, nossa missão é vender, melhor ainda quando ampliando essa inteligência coletiva. Mas, como cidadãos, a nossa missão pode ser deixar um legado para a inteligência coletiva brasileira, ir além dos nossos negócios, causar um impacto social real. Ontem recebí um e-mail falando de um site de auto-estudo que desenvolví e está disponível na Web desde 1999 (uma solução muito simples, prática e de acesso gratuito que didaticamente ensina as pessoas a usar a Internet) e que concluía assim: "Caso interessante no Ceará, uma senhora fez promessa e reza todos os dias pela saúde de Aísa, grata pelos filhos terem seguido uma profissão na vida por incentivo da Aísa." Isso não tem preço...

Comentários