Equilíbrio

Quando não se tem tempo para falar com clientes atuais e clientes potenciais, há perda de oportunidades..

Quando não se tem tempo para falar com parceiros atuais e potenciais, há perda de oportunidades..

Por outro lado, há perda de oportunidades quando as conversas que são tidas são longas e se prolongam além do necessário - e mesmo esse "longo" é discutível.. O tempo de uma conversa vai depender dos tipos de personalidade de quem conversa, se são de alto contexto ou de baixo contexto (segundo Hall). O tempo longo para uma pessoa pode ser curto para outra. Eu, por exemplo, sou de alto contexto e as conversas mais produtivas que tenho são com pessoas objetivas e que rapidamente entendem o contexto que está em discussão. Isso não implica em não estar disponível para aqueles de baixo contexto, ao contrário, mas a identificação dos perfís ajuda, sim, na comunicação e no uso do tempo...

A pergunta mais importante é, no entanto, a seguinte: onde fica o equilíbrio entre a disponibilidade do nosso tempo e a condução à objetividade nas nossas conversas para que, efetivamente, não percamos quaisquer oportunidades?

Comentários