Dá gosto

Dá gosto ver o entusiasmo de quem está começando uma carreira profissional. Roupa nova, espírito novo, mente limpa e ávida por aprendizado. Tudo é novidade, tudo interessa, tudo é surpreendente.

O novo traz oxigênio novo também para quem já começou na labuta há alguns ou muitos tantos anos. Como mais experientes, é nossa responsabilidade mentorar, orientar, ajudar - sem paternalizar - os novos. Como chefes, é nossa responsabilidade mostrar o valor do que fazemos para a nossa empresa, para os nossos clientes, para o nosso setor, para o nosso país. Como líderes, é nossa responsabilidade confirmar o valor da honestidade, confiabilidade e lealdade "pelo exemplo no dia-a-dia" que ele(a) levará para a vida. Como companheiros, é nossa responsabilidade mostrar o prazer que é construir, trabalhar, entregar resultados "a mais do que o esperado".

Há alguns dias estive presente numa cerimônia de entrega de título de Doutor Honoris Causa. Quem saudou o agraciado foi um ex-aluno, hoje Professor, que lembrou com emoção o forte impacto exercido pelo agraciado (meu pai) em sua própria vida, tanto no aprendizado teórico e prático da profissão como na dignidade da postura pessoal.

É justamente esse impacto que nós, os não tão novos, devemos tentar deixar como legado na vida dos que estão iniciando hoje as suas respectivas carreiras profissionais.

Aos novos, um belo futuro! Aos não tão novos, um belo legado!

Comentários

  1. "Dá gosto" é um texto-reflexão de muito bom gosto. Sem as costumeiras pieguices quando se tratam deste assunto, aponta atitudes sumamente importantes daqueles que possuem "anos de estrada" para com as pessoas que os têm como espelho, escolhidos ou compulsórios. Dá gosto de ler. Parabéns, Aísa.

    ResponderExcluir

Postar um comentário