O fim da universidade pública

Acabo de ver num noticiário de TV que a Câmara aprovou a definição de cotas nas universidades públicas brasileiras. Pelos deputados federais, 50% das vagas de todos os cursos dessas universidades será reservado para pessoas de cor preta, pardos e indígenas de baixa renda (50%!). Se aprovada no Senado, os elementos "conhecimento", "estudo" e "preparação" deixarão de ser os requisitos no processo de seleção dos universitários. É o fim das universidades públicas...

Por que?

1- Porque os alunos das cotas não terão o nível de preparo dos demais. Se tivessem, entrariam nas universidades pelo mérito do conhecimento. Aliás, o maior problema do país nesse aspecto é a falta de educação básica de qualidade, tentativamente igual para todos, desde a infância, que permitiria o ingresso dos jovens nas universidades por mérito próprio real;

2- Porque as aulas terão mais interrupções por parte dos alunos das cotas para a compreensão do material exposto. Acumulada, a necessidade de nivelamento do conhecimento tirará tempo de novos aprendizados e dos programas dos cursos;

3- Porque, com o tempo, os melhores alunos passarão a preferir universidades privadas que apresentem alto nível de ensino e onde encontrarão outros alunos de alto nível (aprendemos com os professores e com os companheiros de turma, lembram?);

4- Com a ida dos melhores alunos para as universidades privadas, os melhores professores também irão;

5- Restarão nas universidades públicas os não melhores alunos e professores. Na realidade, com o tempo, estarão penalizando os melhores alunos de qualquer raça ou situação financeira que não poderão pagar pela instrução privada!

Desde o momento em que entrei numa universidade pública, estava clara a inconsistência do maior número de vagas ser tomado pelos estudantes de maior poder aquisitivo, que cursaram as melhores escolas na infância e adolescência. Que puderam e tiveram a chance de estudar, por um lado, e que foram dedicados a isso, por outro. Se uma adolescente via com clareza que a forma de resolver esta questão seria dar ensino de qualidade a todos no ensino fundamental, a pergunta que fica é como, até hoje, quem tem a obrigação de cuidar da educação no nosso país ainda confunde tão completamente as causas e as consequências do assunto...

Comentários

  1. O Governo tenta mascarar o problema com uma atitude eleitoreira. Sem educação básica de qualidade e sem cidadania, ficamos como na música: 1 milhão de descalços, fazendo sapatos...

    ResponderExcluir
  2. O Item 1 do Artigo XXVI da Declaração dos Direitos Humanos (que está fazendo 60 anos em 10/12/08), diz que "todo ser humano tem direito à instrução", que "a instrução será gratuita pelo menos nos graus elementares e fundamentais", que "a instrução elementar será obrigatória" e que a "instrução técnico-profissional será acessível a todos, assim como a instrução superior, esta baseada no mérito."

    "Baseada no mérito" e não em qualquer distinção aleatória...

    ResponderExcluir

Postar um comentário