O que você vê? E os outros?

O que é claro para uns (um novo mercado? foco? método?), pode não ser tão claro para outros tantos. E o desafio, nesses casos, é conter a frustração do imediatismo e agir como educador, ajudando os demais, principalmente aqueles de quem você depende, a ver o que você vê.

O que parece ser mais difícil, no entanto, é lidar com pessoas (clientes, chefes, funcionários...) que, simplesmente, não querem nem acreditam que possam vir a ver. Esses exigem uma dose extra de conteúdo e contexto, aliada à diplomacia, para que seus horizontes e limites sejam crescentemente alargados...

Nesse ínterim, muitas provas poderão ser exigidas. O tempo de execução será mais longo. Valerá a pena esse esforço extra e repetitivo?

"Trabalhar num faixa de alta velocidade, onde todos se entendem e entendem onde querem chegar" versus "Acelerar e desacelerar para continuamente explicar"... Em qual modelo você se enquadra hoje? Em qual modelo você quer se ver amanhã? O que você está fazendo hoje? O que você estará fazendo amanhã?

Comentários