Tudo é mensurável

Sou uma clara defensora de que a atividade de "vendas" está mais para "engenharia" do que para "arte". Daí o conceito e a metodologia da Engenharia de Vendas. E, como toda boa engenharia, a engenharia de vendas parte da junção entre mercado e matemática, com foco objetivo em medidas e métricas.

David Sward, ex-Engenheiro de Fatores Humanos da Intel, atual Diretor de Design Centrado no Usuário da Symantec (pelos cargos, começa a ficar claro o que ele faz, certo?) e autor do livro "Measuring the Business Value of Information Technology" (vou ler!), é também um defensor do conceito de que "tudo é mensurável". Segundo Sward, é só uma questão de conceituar as "definições operacionais" das métricas (vejam postagem de 2006, ainda muito atual).

Para executivos e vendedores de empresas de software, métricas acumuladas de implantações passadas (pós versus pré-implantação) ajudam a mostrar aos clientes o tamanho dos benefícios (claros e quantificados) que eles poderão prever ter com o uso do software. Cliente quer ver/antever resultado!

Para investidores que querem ter empresas de software nos seus portfolios, métricas ajudam a identificar os valores dos negócios das empresas investigadas. Investidor quer ver/antever resultado!

Menos opiniões pessoais, mais apresentação de resultados... Tudo é mensurável...

PS: Mais sobre isso a importância de métricas e método para os que investem em inovação, aqui.

Comentários