Gerando nova energia

"É nas quedas que o rio cria energia", lembra-nos Professor Hermógenes.

O que se aplica a recursos naturais também se aplica a pessoas e a empresas. Replicamos o mundo biológico em nossos estados, reações e relações. A queda pode ser inesperada ou não, consequência de erros nossos ou não.. Mas, inevitavelmente, nos desnorteia por algum tempo.


Esse tempo para o reconhecimento, aceitação e reação à queda será chave para a geração acelerada ou retardada de nova energia. Mas uma coisa é certa: se há uma queda na prospecção de novos clientes, na receita de vendas ou na atividade econômica do país, não há tempo para lástimas ou ilusões. O foco deve ser na ação.


Sua empresa já:

  • fez a sua análise de SWOT (pontos fortes e fracos, ameaças e oportunidades) com foco em "vendas"?

  • fez benchmarking para aprender com os melhores e saber onde há espaços de mercado?

  • fez pesquisas de opinião para saber o que o cliente quer?

  • definiu que público você quer como cliente? verticalizou-se?

  • posicionou-se no mercado explorando seus pontos fortes como diferenciais competitivos?

  • definiu múltiplos canais de venda para estar onde o cliente quer comprar?

  • definiu uma mensagem de marketing que é simples, concreta e importante para o seu público-alvo? integrou o seu Marketing à sua área de Vendas?

  • descubriu onde o cliente está e como abordá-lo na prospecção ativa?

  • tem fechado novos negócios?

  • tem registrado sua experiência de vendas para compatilhamento interno?

Temos recebido e-mails de clientes agradecendo à Engenharia de Vendas - método que baseia as perguntas acima - por estarem na contramão de crises. Esta é nossa missão..

E sua empresa? E você? Quanto de nova energia estão realmente dispostos a gerar?

Comentários