Treinamento é tática de ataque

No artigo "Smart Business for Tough Times", defende-se que as "empresas precisam jogar tanto na defesa como no ataque para sobreviver a crises".

Entre as 12 recomendações citadas no artigo, "investir e tirar vantagens de programas de treinamento" aparece como tática de ataque.

O cenário: Redução de custos leva a reduções de iniciativas de desenvolvimento de pessoal. Parte das empresas reduz o investimento em programas de treinamento.

A tática: Diferencie-se. Invista em treinamento focando em capacitações que efetivamente o ajudarão a estabelecer uma vantagem competitiva e a se preparar no presente para o futuro próximo.

Faz sentido? Se sim, veja nossa agenda de cursos abertos aqui.

Comentários