Acaso e causalidade

Para quem acredita que controla "todas" as variáveis da vida pessoal e profissional, um alerta de Leonard Mlodinow: "o acaso é um conceito mais fundamental que a causalidade.

A mente humana foi configurada para encontrar ordem onde ela não existe - e frequentemente toma péssimas decisões com base nesses padrões imaginários."

É o caso das decisões baseadas em projeções que manteem a direção do passado e esquecem que variáveis imprevistas (e fora de controle) podem criar mudanças inesperadas nos resultados (o que não invalida o trabalho envolvido com projeções, só o torna mais complexo e sofisticado).

A afirmação de Mlodinow pode ser vista como um contraponto ao que Clayton Christensen diz no livro "The Innovator´s Solution", quando defende que “é a ausência de teorias conscientes e confiáveis de causa e efeito que fazem o sucesso na construção de novas oportunidades de negócio parecer aleatório. É a habilidade de começar a pensar e a agir de acordo com a ocorrência de circunstâncias que traz predicabilidade à nossa vida.”

Parece-me que as afirmações se complementam. Trabalhar enxergando a íntima relação que existe entre causa e consequência, aceitando o fato que devemos estar alertas ao acaso que nos espreita, reune as duas influências que fazem parte da realidade.

Não esquecer o acaso como possibilidade e influência é importante. Ter a perspicácia e investir no trabalho inteligente de identificação de causas para as consequências que almejamos é essencial.

Comentários