A viagem do ego

Como tudo na vida, nosso ego deve ter limites. Dentro dos limites, ele é positivo: dá-nos assertividade, auto-confiança e entusiasmo, faz-nos gostar de nós próprios. Fora dos limites, no entanto, ele é negativo: transforma-nos, distancia-nos dos outros, gera a rejeição dos demais.

Quanto mais vivemos, maior é a consciência das limitações do ego inflado. Definitivamente, não será ele que nos permitirá entender quem nos rodeia nem nos permitirá evoluir como profissionais e seres sociais..

Por que?

Para o ego ilimitado, ele próprio é o que mais importa! Quem o tem, se vê como melhor, mais inteligente, mais versado, mais bem-sucedido, e não admite que alguém o contradiga ou tenha uma opinião diferente da dele. Para o ego ilimitado, não há prepotência, só o reconhecimento da superioridade que ele pensa ter..

O pior do ego ilimitado é o não reconhecimento da realidade: a realidade que podemos e temos tanto a melhorar... Somos preparados? Sim, mas podemos ser mais se nos prepararmos mais. Somos inteligentes? Sim, mas podemos aprender mais, inclusive com cada um daqueles que temos a oportunidade de encontrar. Todos são inteligentes e preparados? Não necessariamente, mas aí está uma oportunidade que temos de contribuir para o bem-comum...

Como o ego inflado se vê "pronto, superior e perfeito", conclui que nele não há o que melhorar.. Mais ainda, o ego ilimitado se isenta do bem comum, não participa, pensa que os outros não precisam dele e que ele não precisa dos outros.. e se isola cada vez mais... E, quanto mais sozinho em sua sala ele fica, mais intransigente se torna..

Quanto engano..

Conhece pessoas que "viajam no ego"? Tristemente, eu também. Não permitem ser ajudados diretamente, não admitem que precisam de ajuda. Falar sobre isso? Não funciona.. O que melhor podemos fazer por eles é demonstrar a alegria diária do entusiasmo pelo trabalho e pela vida e a tranquilidade contínua do ego sob controle...

Comentários