Sem software perfeito, não há serviço perfeito

Mais um acontecimento mostrando a essencialidade do software na vida das empresas.. Segundo a IDG, a Polícia Federal está tendo dificuldades para a emissão de novos passaportes devido a falhas técnicas em seus sistemas (veja notícia aqui). Mais uma vez, estava certo Watts Humphrey (o pai do CMM) quando disse que "agora todo negócio é um negócio de software"...

A pergunta é: o custo dessas dificuldades entra na contabilidade mental dos dirigentes/decisores quando estão comprando software?

Quanto custa para uma empresa não prover serviço perfeito? Quantos clientes ela deixará de ter, quanta receita ela perderá, quantos custos imprevistos ela terá que arcar? A Polícia Federal não tem concorrentes para a prestação dos seus serviços, então os seus "clientes" terão que absorver os problemas de atraso na emissão dos passaportes. Mas a grande maioria das empresas concorre diariamente com outras empresas para a obtenção e manutenção da sua base de clientes. Sistemas e aplicativos diversos de software gerenciam áreas, permitem a produção e são usados na prestação de serviços das empresas. Sem o software perfeito, não há produção ou serviço perfeito. Sem produção ou serviço perfeito, perde a empresa. Será que cada decisor sabe e se preocupa com quanto custa essa perda para a sua empresa?

PS: Da nossa parte, devemos "sempre" ajudar os nossos clientes reais/potenciais a entender que o preço do nosso software é único, mas os custos são de três tipos (diretos, indiretos e de oportunidade), lembra? Já falamos sobre isso aqui..

Comentários