Tudo é a mesma coisa: é móvel...

Pessoa A chega na garagem de casa para ir para o trabalho, quer fugir de engarrafamentos, pega o smartphone, consulta o GoogleMaps na opção Trânsito e segue pelo caminho mais livre (liberando menos gás carbônico e ganhando tempo..).

Pessoa B entra numa loja, vê a televisão que quer comprar, não tem certeza se o preço está ok, pega o smartphone, consulta o TheFind e vê os preços daquele exato produto em lojas próximas de onde ele está (aplicando melhor o dinheiro que tem..).

Pessoa C entra num café, vê que esqueceu a carteira na troca de bolsas, mas paga a conta com uma aplicação do café (exemplo)  instalada no smartphone (mais segurança pessoal por não portar dinheiro?..).

....  Imagine agora a pessoa Z, elevada à potência n.. e é possível perceber o potencial da computação móvel e as consequências desse movimento no varejo, na economia, no trânsito, no meio-ambiente, no nosso bem-estar. Não é à toa que a SAP comprou a Sybase com foco em computação móvel. Sistemas de gestão no smartphone? Sim! Mineração, construção civil, manutenção de aeronaves, hospitais (etc...), um grande número de segmentos precisa de informação móvel. Quem tem a facilidade de consulta na mão não se contenta mais com a informação "imóvel".

Se a população usa aplicações de software via smartphone no dia-a-dia, será então o cliente do nosso cliente que puxará o uso da nossa tecnologia (esse é o movimento conhecido como "demand pull"), "se" estivermos cuidadosamente olhando tanto as necessidades do nosso público-alvo como as necessidades do mercado do nosso público-alvo..

Computação. Comunicação. Futuro. Tudo é a mesma coisa: é móvel...

Comentários