Somos fios que abrem e fecham ciclos

Uma querida amiga está hoje iniciando um novo ciclo de vida. O café da manhã foi tomado entre amigos, emocional, repleto de desejos de felicidade e da certeza das nossas próprias temporalidades.

A vida de cada um de nós é repleta de ciclos, percebidos ou não. O profissional se confunde com o pessoal, e vice-versa. Temos os ciclos de crescimento, casamento, filhos, divórcio e netos que se misturam aos ciclos de faculdade, primeiros empregos, consolidação da carreira e mudança de carreira. Ou seja, quando tudo parece estável e bem fundado (casamento e consolidação da carreira), algo surge que leva à reconstrução da vida como até então a conhecíamos (divórcio e nova carreira em novo campo de conhecimento e atuação). Isso acontece com todos? Não, não com todos.. Com muitos...

O que me encanta é a coragem que os seres humanos (minha amiga, você, eu, a pessoa ao nosso lado..) têm para largar o que é conhecido e enfrentar o desconhecido. Com alegria ou com medo, ou ainda levados por circunstâncias a, b, ou c, vamos em frente. Enfrentamos as circunstâncias desconhecidas com a certeza e a esperança que vamos conseguir chegar onde queremos, ter o que queremos, viver o que queremos. Mesmo que esse "querer" mude com o tempo e nos ensine a "querer outro querer".

"Somos como fios", diz Maristela Lupe. Se somos fios, podemos estar em vários lugares, querer vários quereres, crescer em vários sentidos, começar vários ciclos, alcançar vários objetivos.. simultaneamente.. Se somos fios, podemos pensar/planejar o futuro "e" estar presentes nos vários aspectos do agora. Se somos fios, e vivemos ciclos, devemos trabalhar para bater as metas que temos "hoje" no hoje, com a consciência de que devemos fechar cada ciclo iniciado sem acumular passivos do passado...

Comentários