Sem TI não há negócio, sem negócio não há TI

"Costumo dizer que se há uma discussão estratégica na empresa e não tem ninguém de TI na mesa, algo está errado." Quem está falando é Edson Badan, diretor de TI da Ford para a América do Sul, em artigo do Valor Econômico (link para assinantes).

A gente tem tanto a perspectiva do que há a melhorar e a pressão para "nós entendermos o negócio", que é muito bom ter o reconhecimento inequívoco das outras áreas sobre a importância da área de tecnologia da informação para os negócios das empresas.

Como temos falado "há anos", o artigo continua: "o técnico com jeitão de nerd continua no escritório, mas ele começa a dividir espaço com funcionários que, além de entender de equipamento, software e afins, têm conhecimentos sobre o negócio da empresa. A mudança, mais visível à medida que se avança nos escalões superiores, é um reflexo da importância crescente que a TI assumiu dentro das companhias de todos os setores."

Vejo isso com frequência. Ajudamos executivos e funcionários de empresas de software (técnicos com  formação em Exatas, na sua maioria) a perceber a importância da aquisição aprofundada do conhecimento do negócio do cliente.. E  vemos os resultados positivos que esses novos conhecimentos trazem para as suas respectivas empresas..

A importância da área de TI existe há muito tempo, mas sofreu uma mudança significativa, consequente do amadurecimento do nosso setor. Se antes a área de TI era vista como uma área-fim, passou a ser entendida como uma área-meio. E, como área-meio, hoje tem "atuação conjunta" (e não dissociável) com as áreas de negócios (as áreas-fim) das empresas para atingir objetivos comuns..

Em suma.. É muito simples: sem TI não há negócio, sem negócio não há TI.

Comentários