Quem usa é tão importante quanto quem faz

Mostre-me quem usa teu software e eu te direi quem és... Essa adaptação daquele provérbio antigo (aquele que as nossas mães repetiam, para que escolhêssemos muito bem as nossas companhias) também se aplica às relações de compra e venda.

Quanto mais conhecido e bem-sucedido for o seu cliente, pessoa física ou jurídica, mais chance ele tem de agir como um formador de opinião seu.

Para a pessoa física, o que funciona melhor entre a foto de uma roupa (ou relógio) ou a foto de uma roupa vestida por uma celebridade? A foto associada à celebridade, certo? Por que? Além da qualidade, porque a celebridade vai passar à marca o conceito de "sucesso" que ela já tem. Como as pessoas querem sucesso, a marca passa então a ser associada ao que elas almejam: sucesso.

Para a pessoa jurídica, o conceito fica mais elaborado. Depoimentos e casos de sucesso (clientes formadores de opinião (de sucesso) que tiveram sucesso usando o software implementado) são coletados. O objetivo? Mostrá-los como prova da nossa competência e para o incentivo à compra por clientes potenciais. Isso funciona? Sim, funciona.

Por que? Porque a palavra do cliente tem "credibilidade". Pelo espelhamento, cliente prefere ouvir de cliente, isento. É por isso que o cliente potencial prefere a opinião e o relato de clientes já reais, que já passaram pelas dificuldades que eles têm hoje. São estes clientes reais que podem atestar o quanto nosso software foi essencial para resolver os problemas que tinham. São eles que vão nos permitir ser vistos com a importância do que contribuímos para o que eles são.

Comentários