É tudo urgente?

O cliente, o chefe, o subordinado, o companheiro, o filho, o pai, o amigo, o sócio.. A cliente, a chefe, a subordinada, a companheira, a filha, a mãe, a amiga, a sócia..São muitos os que nos rodeiam e que precisam de nós em algum momento, muitas vezes em caráter de urgência. O que fazer?

1- Pergunte pelos prazos: o que para uma pessoa, ansiosa, pode significar um quase atraso, para outra pessoa, relaxada, pode significar que ainda há muito tempo pela frente.. Perguntando pelos prazos, não deixamos espaços para interpretações: se a entrega tem que ser feita no dia 25, ela tem que ser feita no dia 25;

2- Pergunte pelas responsabilidades: "quem vai fazer o que" é determinado por quem tem mais tempo e capacidade (ambos) para fazer o que deve ser feito. Entender esta ligação e conhecer as pessoas envolvidas para a indicação das responsabilidades pode evitar ineficiências e aborrecimentos;

3- Responda imediatamente: a falta de ação é uma "doença" (no sentido figurado, entenda-se.. preguiça também..). Se há algo a resolver dentro de um prazo inelástico, a resposta, seja para a ação ou para dizer que não terá condições de participar da ação, deve ser imediata. Se não vamos contribuir para a questão, também não vamos ser a causa de adiamentos para resolvê-la..

(mais alguma sugestão?)

Comentários