Qual é o ponto central da venda? Não há como falar em resultado futuro se bom funcionamento presente não há.

Se o cliente tem algum problema no uso do seu produto, se o cliente abriu chamado no seu suporte técnico e está no aguardo da resposta, reparação ou correção por parte da sua equipe de suporte, implantação ou desenvolvimento, o seu vendedor não deveria entrar em contato com ele para falar sobre vendas.

Está isso claro o suficiente? Há alguma forma de sair deste improvável, mas possível, dilema?

A venda de software é sistêmica. Pouco adiantará agir seguindo os interesses do vendedor quando quem decide ou não a compra é o comprador - e os interesses que ele tem.

Em momentos de estresse em que o cliente depende do provedor de serviços, a solução do problema tem máxima prioridade. Tudo o mais deverá ficar em segundo plano. Não há como falar em resultado futuro se bom funcionamento presente não há.

E se você ainda olha com os seus olhos, ao invés de olhar através dos olhos dos clientes, lembre-se dos momentos em que você não foi bem atendido e entendido. Lembrou do que sentiu?

Quando mal entendido e atendido, falta estímulo para confiar e comprar. O ponto central de uma venda é ofertar e entregar um resultado desejado. Perder esta compreensão e não demonstrar empatia pela situação estressante do cliente é forma segura de perder possíveis compras futuras que ele viria a fazer.

Se atentas, as áreas de contato com os clientes se conversarão, se organizarão e priorizarão o que deve ser priorizado para que os clientes sejam minimamente atingidos pelos problemas que venham a produzir. Tudo muda quando muda o olhar.

Comentários