Making off de entrevista para o InovAtiva, o mais premiado programa de aceleração de startups do país

O e-mail de Priscila Zucas chegou no dia 7 de janeiro, respondi no dia 9 e a matéria foi publicada no dia 13 no blog do InovAtiva. Velocidade! A entrevista completa com perguntas e respostas pode ser vista a seguir:

Priscila: Como gostaria de ser identificada na matéria? 

Aísa: Aísa Pereira , criadora da metodologia da Engenharia de Vendas para Empresas de Software.


Priscila: Qual é o seu papel no InovAtiva Brasil?

Aísa: Atuo como mentora de startups e avaliadora de negócios em bancas temáticas de DemoDays.


Priscila: O que você acha do InovAtiva Brasil? Como você acha que o programa contribui para o ecossistema brasileiro de empreendedorismo?

Aísa: Sou factual, observo e trabalho com fatos. O InovAtiva é o mais premiado programa de aceleração de startups do país: Inovação em Gestão Pública (ENAP, 2015), Melhor Aceleradora Startup Awards (ABStartups, 2016), Benchmarking de Política Pública (OECD, 2017), Top #1 Ranking Ecosystem (100 Open Startups, 2019). É também o maior programa de aceleração de startups nacional, com mais de 10.000 projetos submetidos, mais de 2.000 startups capacitadas e cerca de 1.000 startups aceleradas até o momento.  

Além da importante rede de conexão, da respeitável rede de mentoria e do cuidadoso programa de aceleração providos, as interações presenciais de 2 dias e meio entre startups finalistas e mentores a cada 6 meses criam um admirável ambiente de alargamento de visão e alta exigência e pressão para as startups, que respondem e correspondem com um amadurecimento atípico para tamanha velocidade.

Fazer parte do InovAtiva, contribuir e ver este amadurecimento acontecer ao vivo, é extraordinário. 


Priscila: Você ganhou a gamificação do InovAtiva Brasil 2019.2. Do que se trata? Como se deu essa conquista?

Aísa: A gamificação é uma votação das startups, uma avaliação feita pelas cerca de cem finalistas sobre a qualidade das mentorias recebidas. Mentores e startups recebem uma grade de "matchs" e tanto startups quanto mentores avaliam a qualidade do "match" e do outro. Esta avaliação gera uma pontuação, que leva a um ranking de mentores de destaque.

“Olhar através dos olhos dos clientes” é o principal pilar da Engenharia de Vendas para Empresas de Software, metodologia que criei em 2004. Assim trabalho e me relaciono com empreendedores e startups. Fazer perguntas que os levem a ver os seus próprios negócios através dos olhos dos seus clientes é fundamental para a tração dos seus negócios. O resultado os surpreende.

Ajudá-los a priorizar o priorizável faz parte deste resultado. Com tantas opiniões diferentes que encontram ao longo da aceleração, é compreensível que as startups hesitem nos pontos a focar, rumos a dar e formatos a escolher para o futuro das suas operações e o grande dia do Demoday. Quanto mais bem preparado, objetivo e autêntico o mentor for, mais ele pode inspirar, orientar e contribuir para que cada startup identifique e valorize o seu maior diferencial e ajuste o seu foco.


Priscila: Em se tratando de startups, quais segmentos você considera que serão tendência em 2020? Por quê?

Aísa: Health tech, food tech, fintech, energy tech, retail tech, e muito mais. Múltiplas chances terão as startups que identificarem a interseção entre demanda de mercado com alto potencial (demanda significativa não atendida ou mal atendida) e baixa, inexistente ou desatualizada competição.

O produto resolve o problema? A startup é exata nos números, fontes e afirmações? Os empreendedores são bem-informados quanto à concorrência? Têm paixão pelo que fazem? Lidam bem e cumprem prazos e projeções? Inspiram confiança? Têm excelente produto?

O quanto a startup entende sobre os problemas específicos e prioritários do nicho econômico que se destina a atender, a qualidade do produto, a atenção aos detalhes e a responsabilidade, perfeccionismo e pontualidade nas entregas serão sempre essenciais do ponto de vista dos clientes.

Priscila: E em termos de tecnologia (ex.AI, Big Data, Reconhecimento Facial)? Quais devem se destacar este ano? Por quê?

Aísa: A pesquisa “tech trends 2020” no Google traz diversas tendências a partir de várias fontes, vale a leitura. “Game changers” também podem ser vistos aqui.

Que tecnologias mais se adequam aos problemas de clientes reais e potenciais que cada startup quer ter e ajudar a resolver? Quais competências seus profissionais têm? Onde são experientes, o que têm estudado e trabalhado em? O que dominam? O que querem dominar? Que tecnologias líderes e concorrentes nacionais e internacionais estão usando e começando a usar? Perguntas assim ajudam as startups a decidir sobre tecnologias a usar no desenvolvimento de seus produtos e serviços.

Priscila: Quais os principais desafios que os empreendedores vão encontrar esse ano?

Aísa: Prefiro falar das principais oportunidades, pode ser? Tecnologias avançadas de investigação para uso da Justiça e da Segurança Pública, incluindo a prevenção e o combate à corrupção, poderão ter destaque neste ano.

Priscila: Tem algo que não perguntei que você gostaria de acrescentar?

Aísa: Agradeço pelas perguntas e desejo que as respostas sejam úteis à comunidade brasileira de startups. Um feliz, produtivo e próspero 2020 para todos!

Comentários