Contratar gente qualificada é inovação aberta

Quem tem caixa e crédito respira. Mas ninguém melhor do que você para saber em qual situação a sua empresa está nesta dura quarentena. Quem não tem caixa e crédito se preocupa em obtê-los e se inquieta com as decisões que deverá tomar. Demitir dói.

Mas enxergar um bem no meio deste mal é possível. Neste difícil momento, 1 ponto positivo há: a prática da inovação aberta. Não falo aqui só da inovação aberta típica, resultado de chamadas (múltiplas!), projetos e trabalhos conjuntos entre áreas ou empresas. Foco aqui também no "conhecimento que se move" entre as empresas através das contratações de profissionais qualificados.

Cada profissional é um "conjunto de conhecimentos, experiências, habilidades e conexões que são trazidos para uma empresa na hora de uma nova contratação" (Almeida & Kogut). Com o duríssimo impacto da quarentena na economia, é maior o número de profissionais "qualificados" disponíveis no mercado e maior também é a chance "para quem puder contratá-los" de atraí-los.

O bem "deste movimento do conhecimento" é claro: expostos a uma nova empresa e a um novo contexto, estes profissionais recém-contratados trarão novas associações, ideias, links e relações não anteriormente vistas, gerando inovação para quem os contratar!

Quem enxerga o bem mais cedo, mais cedo o bem terá. Assim que puder, empresário, contrate. Contratar gente qualificada é pura inovação aberta... Vê?



Comentários