Postagens

Mostrando postagens de Março, 2013

A intromissão que atrapalha

Você é um profissional bem-intencionado que nem percebe que se intromete em assuntos que não lhe competem? Se for, nem vai perceber, não é? ;-) Mas as pessoas ao redor irão. E isso é o pior: quando os outros percebem como somos antes de nós mesmos...
Respeitar as atribuições é fundamental em trabalho em grupo. Confiar nos responsáveis pelas atribuições também. Afinal, não são eles os responsáveis? Não estão a eles entregues as atribuições? A sua palavra, pergunta, comentário ou pedido podem ser até fundamentados, mas existe hora e lugar para fazê-los.. Ou, se fundamentados não forem, "não" fazê-los..
O que acontece com frequência é cada um tomar os outros como se os outros fossem iguais a ele - ou, pior, não tão bons, competentes, adequados, etc. como ele.. Subestimamos os outros. Somos subestimados pelos outros.. Todos? Não, não todos.. Parte deles, em pelo menos algum momento.. 
E subestimar gera consequências graves, completamente dispensáveis.. Quais? Perda de tempo e in…

Teoria das Filas na prática: escreva o follow-up hoje

Muito a gente esquece, muito a gente nunca esquece. Uma das lições que mais marcaram da época da faculdade foi uma aula que tive sobre a Teoria das Filas. Assim que o professor a explicou, pude "ver" como ela faz sentido e me ajudaria no dia-a-dia dalí para a frente.. Sim, já falei sobre ela aqui, mas quanto mais a uso, mais rápida fico e mais projetos, clientes e pessoas posso atender. Se eu posso, todos podem! Por isso é tão importante compartilhá-la novamente..

O problema:
Muitos projetos, atividades e clientes são atendidos e desenvolvidos em paralelo e ao mesmo tempo. Se não formos bem organizados, perderemos o controle do tanto que há a ser feito, no tempo que se dispõe para fazer o que temos a fazer. E fica cada vez mais difícil fazer o prioritário quando o prioritário é deixado para depois..

O uso da Teoria das Filas como instrumento de organização:
Decidir o que fazer primeiro entre tantos atendimentos, atividades e projetos é essencial para o eficaz uso do tempo. P…

O problema não está na abordagem, o problema se torna visível na abordagem!

"O principal problema da nossa venda está na abordagem.."

Quantas vezes já ouví isso de vendedores, diretores de empresas e executivos de núcleos de TI? Muitas, muitas vezes.. E todas as vezes em que ouço essa frase, penso e falo o que explico aqui:

O problema não está na abordagem, o problema se torna visível na abordagem!

É na abordagem que o cliente dá um imediato retorno sobre o que falamos e o que lhe ofertamos. Se não há diferencial no nosso produto ou serviço, se ele (nosso produto ou serviço) se compara com desvantagem em relação aos da concorrência, se ele não corresponde ao que o cliente potencial quer e precisa, se ele não é oferecido a um público-alvo que o quer e precisa, se ele está mal posicionado, se ele é demonstrado por um canal de vendas inadequado, e se ele é demonstrado com uma comunicação que não é clara, nem concreta, nem importante para o público-alvo, a abordagem ao cliente potencial pode virar um grande problema, sim! Mas a abordagem é o problema? Nã…

Mundo de oportunidades!

Ok, sendo bem direta: quem gosta de ler e domina o inglês tem 2 vantagens competitivas claras. Alguns artigos que saíram na mídia internacional nas últimas semanas podem catalizar (lembra?) aplicações práticas, seja em que contexto estivermos.

Bloomberg Businessweek publicou "Computer Interfaces: tech's next great frontier" : Drake Bennett mostra a relação direta entre o sucesso potencial de novos projetos e empresas com o desenvolvimento de "interfaces" (redes sociais, comércio eletrônico, sites? menos promissores..). O trabalho com interfaces é focado na entrada e na saída de dados, em qual é a melhor maneira de acionar o computador e entregar a informação ao usuário. Ver com a língua, mover sem o braço/mão, controlar sem tocar são exemplos de interfaces que veremos - e usaremos - no futuro..

The Wall Street Journal publicou 3 artigos interessantes:

- "Is smart making us dumb?" : Evgeny Morozov mostra as crescentes aplicações do binômio "sensor…

2 palavras-chave? Priorizar e Catalizar

Líderes lideram e vendedores vendem. Óbvio? Sim! Mas o sentido aqui é ir por detrás, achar uma interseção, um padrão entre elas. E acho que sei qual é, uso esta interseção todos os dias..

Se eu tivesse de resumir meu trabalho a 2 palavras, elas seriam:
1- priorizar
2- catalizar

Priorizar permite o entendimento e o domínio do que que deve ser feito agora, amanhã e depois. Priorizar permite o entendimento e o domínio de quem deve ser atendido primeiro e o porquê. Priorizar permite o entendimento e o domínio do nosso esforço, do como e do quanto deve ser empregado para empreender o que deve ser empreendido.

Sem priorizar o que deve ser priorizado, o profissional perde prazo, orçamentos, limites. Perde também seu próprio entusiasmo, pela frustração de não atender e dominar suas pendências e oportunidades (repetidamente...).

Priorizar envolve observação, experiência e, na contra-mão, instinto.

Catalizar, por sua vez, é estimular e acelerar a ocorrência de um resultado desejado. Catalizador…