Postagens

Mostrando postagens de Março, 2012

Nosso valor está no valor que consistentemente produzimos para os nossos clientes

Quem me conhece sabe como sou consistente. Minha prioridade é que as nossas entregas correspondam (ultrapassem?) a expectativa dos clientes todos os dias, continuamente... E há uma razão para isso.

Simon Sinek fala que "apesar de todos os nossos avanços em lançar novos produtos [e serviços] no mercado, a forma como as pessoas decidem não tem mudado nem um pouco." E que forma é essa? O que um comprador quer é a certeza de que vai empregar bem o seu dinheiro, vai fazer um bom e seguro negócio e vai poder contar com fornecedores confiáveis e consistentes!

Nosso valor está no valor que "consistentemente" produzimos para os nossos clientes. Arroubos, espasmos de bom atendimento seguidos de desatenções indicam um serviço consistente? Equipes formadas tanto por profissionais atenciosos e capacitados como por profissionais não tão atenciosos e competentes indicam um serviço consistente? Não, não indicam.

Um serviço consistente significa garantia de bom atendimento independ…

Há perdas que a gente percebe. Outras não..

Ninguém gosta de perder. Um negócio que é perdido, um cliente que é perdido, uma oportunidade que é perdida, um bem que é perdido... O que é perdido faz falta, dói, frustra na hora da perda e depois dela.

Há os que entendem e aceitam a perda e há os que não entendem e não aceitam a perda. Esses últimos, os que não entendem e aceitam a perda, sofrem mais - e perdem bastante tempo presente com mais frustração pelo passado, pelo que já foi perdido. Os que entendem e aceitam a perda sofrem menos: deixam-na para trás e já miram e trabalham em oportunidades presentes e futuras. Melhor para estes...

Mas há perdas que nem percebemos. São as perdas causadas pela lentidão. "Vou deixar isso para amanhã" é uma das causas. Ou "fulano de tal precisa me autorizar isso" e o fulano pensa "vou deixar isso para amanhã".. E o tempo vai passando.. E contatos não são feitos, decisões não são tomadas, ações não são realizadas, entregas não são efetuadas, mais negócios não são f…

Burocracia em empresa privada?

Há empresas ágeis e há empresas burocráticas. Geralmente associamos burocracia a empresas públicas, mas algumas empresas privadas negativamente surpreendem, tamanha é a série de requisitos e demandas para agir / reagir.

Por que uma empresa se deixa semi-imobilizar assim? É grande a minha curiosidade sobre isso.. Que experiências anteriores seus sócios e executivos já tiveram que os levaram a sobrecarregar o trabalho de seus funcionários com sucessivos e redundantes "procedimentos da empresa" a serem seguidos?

No dia-a-dia, quanto da produtividade de seus associados e do relacionamento com seus clientes e fornecedores está sendo afetado? E quanto está sendo perdido em velocidade de "negócios"?

Se fosse evidente essa mensuração, talvez ficasse claro para quem define tantas regras o quanto algumas podem estar afastando-o exatamente daquilo que ele mais quer: crescimento, com eficácia.

O passado de um dita o futuro de muitos até o momento em que o futuro se revela pi…

Follow up depois da CeBIT 2012

Imagem
Lá na CeBIT, incorporei 2 papéis: o de observadora e o de compradora potencial (não temos nós de olhar através dos olhos dos clientes para vender mais e melhor?). Já na feira, uma empresa teve destaque na abordagem e postura pessoal dos vendedores no stand: uma empresa norte-americana (claro..) chamada Rackspace, conhecida pelo seu diferencial de "Fanático Suporte" (já falei dela nos cursos da EV). Muito bem-preparado e solícito, o vendedor que me atendeu fez diagnóstico, citou clientes de referência e métricas, respondeu a todas as minhas perguntas (inclusive as relativas à concorrência, já que eles batem de frente com a Amazon) e foi atento a provar, concretamente, a empresa como fornecedora. Exatamente como fazem os engenheiros de venda...

Lá mesmo, comentei isso com amigos, e minha expectativa pós-feira era ver como eles se portariam. Acabei de receber um e-mail deles de follow-up. Não decepcionaram. Fizeram o melhor follow-up que recebí pós-feira (a feira terminou no s…

Anotações da CeBIT 2012

Imagem
A calçada de Copacabana estava lá no meio do stand brasileiro do pavilhão 6 da CeBIT 2012.

Mas se eu pudesse sugerir a formatação da presença brasileira numa feira como a CeBIT, sem limitações, eu colocaria um avião da Embraer no stand para visitação do público. Se este avião tivesse sido vendido para uma companhia aérea ou empresa alemã, melhor, porque traria o nome alemão ao lado do nosso (estávamos em território alemão..). Colocaria também uma screen de última geração mostrando, em alemão e em inglês, a visão técnica e a visão de negócio do software presente na fabricação daquele avião, com a indicação das empresas brasileiras que também lhe fornecem tecnologia (que lá também estariam presentes), numa sequência de visitação para o público.


Engraçado é que, no pavilhão 2, a IBM não só pensou, mas colocou esse formato em prática. Colocou um caminhão da Mercedes, junto a uma tela mostrando um filme, passando em alemão e em inglês, com as visões técnica e de negócio (o visitante escolhi…