Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2007

Foco e alternância com grupos

Quando conversando com um grupo de pessoas, a quem você dá mais atenção?

Ao mais velho, ao mais falante, ao mais que se mostra mais rápido e astuto, ao que se mostra um tanto perdido, a quem tem mais influência no grupo ou à figura de autoridade? Ou a todos, alternadamente? (consegue?)

Como priorizar e "sinergizar" o que é dito pelo grupo, especialmente se os pontos de vista diferem de uma pessoa para outra?

Dá gosto

Dá gosto ver o entusiasmo de quem está começando uma carreira profissional. Roupa nova, espírito novo, mente limpa e ávida por aprendizado. Tudo é novidade, tudo interessa, tudo é surpreendente.

O novo traz oxigênio novo também para quem já começou na labuta há alguns ou muitos tantos anos. Como mais experientes, é nossa responsabilidade mentorar, orientar, ajudar - sem paternalizar - os novos. Como chefes, é nossa responsabilidade mostrar o valor do que fazemos para a nossa empresa, para os nossos clientes, para o nosso setor, para o nosso país. Como líderes, é nossa responsabilidade confirmar o valor da honestidade, confiabilidade e lealdade "pelo exemplo no dia-a-dia" que ele(a) levará para a vida. Como companheiros, é nossa responsabilidade mostrar o prazer que é construir, trabalhar, entregar resultados "a mais do que o esperado".

Há alguns dias estive presente numa cerimônia de entrega de título de Doutor Honoris Causa. Quem saudou o agraciado foi um ex-aluno, …

Antídoto contra perda de tempo

Milhões de prospects nãoqualificados
Milhares de clientespotenciais
Centenas de clientesinteressados
Agora pense na perda de tempo que você vai ter se não definir bem, previamente, quem será o seu público-alvo...

Sinais do mal

Em “Eight signs of evil in high-tech companies”, Tom Wailgum faz uma excelente descrição dos “sinais do mal” entre empresas de software. A análise é em cima do mercado norte-americano, mas os sinais descritos independem do país de origem:

1- Arrogância
2- Destruição da concorrência, não importa como
3- Concorrência nos tribunais substitui a concorrência nos mercados
4- Desinteresse por parcerias com outras empresas
5- Esquecimento dos clientes – e do que é importante para eles
6- Neurose do “todos querem roubar, tirar ou copiar algo da nossa empresa”
7- Começam os segredos e os rumores - internos e externos
8- Atitude do “não temos que dar satisfação a ninguém” – inclusive ao grande público

Embora haja um diferença de tempo entre os sinais e a resposta do/pelo mercado, a existência desses sinais denuncia o começo da "custosa" e urgente necessidade da reinvenção e do reposicionamento das empresas que os apresentam - ou o começo do fim para algumas delas..

Você já tem o nome?

Algumas sugestões para quando você estiver escolhendo o nome para a sua empresa ou para os seus produtos ou serviços:
- trabalhe de trás para a frente. Escreva uma manchete de anúncio retratando a sua empresa ou o seu produto/serviço e defina um nome que reflete a sua estratégia e diferencial no mercado;
- quanto mais mnemônico o nome for, melhor;
- forme uma nova palavra com partes de palavras que descrevem a sua empresa ou produto/serviço;
- conjugue, componha, inverta, crie uma nova e original palavra;
- gere vários nomes alternativos;
- pergunte a opinião de várias pessoas;
- avalie o resultado e escolha o que tiver tido melhor aceitação (sua e dos outros). Neste momento, não esqueça de verificar se o domínio do nome escolhido (com a terminação .com.br) está disponível. Se não estiver, escolha outro nome. Isso vai poupá-lo de problemas e dificuldades no futuro.

“Toda a vez que eu penso que tenho a chave para o mercado... alguém muda a fechadura.” Escreví isso há muitos anos num slide de u…

Teletransporte intelectual

"Isso se espalhará por todo o globo. Nossa “homeland” estará em todo lugar. Os sons e imagens dos lugares que amamos serão transportados para longe num estalar de dedos. Exílio será uma coisa do passado e, como resultado, a questão social estará resolvida." – Victor Hugo, 1881, falando do "telegráfo".. (antes de saber quem tinha falado isso e o ano.. pensou que ele estava falando da Internet, não foi?)

Pense mais um pouquinho e veja que o “teletransporte” já é realidade hoje. Não da nossa matéria “física”, mas da nossa matéria “intelectual”. Hoje é possível falar com qualquer pessoa plugada na Internet, trabalhar com grupos de pessoas de qualquer lugar do mundo, compartilhar conhecimento, educação e diversão com conhecidos ou desconhecidos que falam ou lêem no(s) idioma(s) que você domina...

A volta ao mundo que antes era feita em 180 dias é agora feita em segundos... As possibilidades de negócios - e sociais - crescem exponencialmente...

Causa e consequência

Uma corrente de pessoas diz que as coisas acontecem por acaso. Esbarrar com um amigo num aeroporto é um exemplo disso. Mas deixar o futuro de um negócio ao acaso e à esperança (ou, em alguns casos, à certeza da megalomania) não é um bom negócio.

Em "business", a observação da realidade contextual onde nossa empresa está inserida é crítica, apesar das estratégias contingenciais (aquelas que surgem do contexto, sem intenção formal prévia) serem frequentes. Se o nosso público-alvo está tendo dificuldades financeiras, provavelmente gastarão menos com aquisições de software (menor impacto será sentido por certos serviços com contratos temporais).. Se o nosso posicionamento e a nossa oferta de valor não são claros e adequados ao momento do nosso público-alvo, provavelmente o número de contatos e visitas sem sucesso será grande (e este insucesso tenderá a ser maior ainda se o nosso público-alvo não tiver sido cuidadosamente definido).. Quanto mais generalista for a nossa oferta, men…

Definição de valor

“Cada vez mais, a definição de valor se estende além do que está sendo vendido para incluir a natureza da relação, a qualidade desse relacionamento e o acesso a informações críticas em tempo mínimo. Isso pode ser tão importante numa relação comercial quanto o produto ou serviço entregue e/ou o preço cobrado.

Como você vende para os clientes, como você mantém suas relações comerciais e como você planeja refinar seus processos para dar suporte à sua base crescente de clientes são todos itens críticos.”

Precisa dizer mais?

Mais no white paper (e fonte) “Delivering Customer Value: Innovative Approaches to Maintain Competitive Success”, escrito por Raymond Boggs & Mary Wardley e publicado pelo IDC em julho deste ano.

Mais que físico, condicionamento emocional

De segunda a sexta, sigo uma rotina de acordar às 5:30 da manhã, andar até a academia de ginástica, fazer aula por 1 hora, voltar andando, para daí começar a me preparar para o dia de trabalho. Nessa rotina diária, encontro alguns vizinhos no elevador. Hoje conversamos sobre o valor do condicionamento físico para o trabalho. No meio da conversa, me saí com um "mais do que condicionamento físico, acredito que uma rotina de exercícios nos dá também condicionamento emocional". Surpresa, satisfação.. e a concordância foi imediata.

Explicações químicas à parte, é fato que há um aumento de energia e disposição em quem se exercita. Vejo isso todo dia ao meu redor (condicionamento físico não é a única, mas é uma variável importante para a boa disposição das pessoas), sinto isso durante o dia (o dia começa cedo e continua ritmado até o final). E exercício físico (você anda, corre, nada, anda de bicicleta ou faz algum tipo de esporte?) é algo tão fácil de fazer, basta vontade e persist…