Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2012

Quem precisa da competência que você tem?

Quem precisa da competência que você tem?

Quem mais precisa da competência que você tem?

Ao contrário de 2008, quando os investimentos em TI tiveram uma freada pela crise mundial, a crise em 2011 acelerou as vendas do nosso setor globalmente. Empresas estão preferindo investir mais em TI porque "enormes avanços tecnológicos têm permitido às empresas fazer mais com menos" (como lembrou Obama em discurso em dezembro passado). Comprando mais hardware e software, as empresas são mais produtivas e esse ganho de produtividade gera mais riqueza, cria novas especialidades de trabalho e, sim, cria novas demandas de empregos (não todos, os de média capacitação sofrerão..) (veja artigo da Business Week)..

A questão-chave para uma empresa de software é como ela pode se destacar das demais num cenário assim. Tamanho é importante? É. Tamanho implica em grande número de clientes, grande número de profissionais, mais recursos disponíveis, experiência no atendimento e nas implantações pelo g…

A excelência de um engessa a criatividade dos que copiam

É muito mais fácil copiar do que criar. Pessoas e empresas fazem isso com frequência. Alguém/alguma empresa/um concorrente surge com algo novo que é bem recebido pelo mercado? "Vamos copiá-lo", pensam muitos.

A excelência de um engessa a criatividade dos que copiam... E esse é um grande perigo. Se vários parecem iguais, o valor da oferta fica menor, a oferta fica dividida, fica indefinida a liderança, o mercado espera, as compras desaceleram. Se há expansão dos clientes com níveis diferentes de poder aquisitivo, menos mal: abre-se a oferta, mercados são criados. Mas se as cópias são qualitativamente muito  inferiores ao copiado e o mercado prefere pagar mais para ter acesso a mais valor, o dano é maior para as próprias copiadoras. Será deles o tempo perdido pelo não investimento na inovação.

Sempre há a melhorar. Sempre há espaço para trazer a tecnologia para o dia-a-dia de mais pessoas em mais processos em mais atividades. Copiar o que já está feito é olhar para trás.  Obse…

A derrota que prepara para a vitória

Há uma coisa que me incomoda quando ouço o relato de casos de sucesso pessoais: o foco está sempre na fé inabalável em seus objetivos, como se essa fé não vivesse acompanhada da dúvida nem da percepção da eventual derrota...

Em vários casos de sucesso, há o não relatado momento da quase desistência, tantas são as dificuldades - e, curiosamente, é nele, exatamente neste momento do "quase entregar os pontos", que a virada da derrota para o sucesso pode acontecer (ou não, para os que não chegarão ao sucesso..)..

É a quase desistência ou a desistência temporária que parecem preparar psicologicamente o futuro bem-sucedido. Embora outros não saibam ou não tenham percebido, ele sabe que se sentiu derrotado em algum momento e a derrota é uma doce professora quando já não é mais um fato e um fardo.

É a quase desistência ou a quase a derrota pela impossibilidade que nos fazem cientes de que tudo na vida é impermanente... tanto a derrota como a vitória.. São também elas que nos …

Janeiro mês morto?

"Até o Carnaval está tudo parado..."

Será?...  E se você e sua equipe usarem esse tempo para....

.. definir/redefinir seus pontos fortes e fracos (análise interna e presente) e ameaças e oportunidades (análise externa e futura)?
.. estudar "muito bem" seus concorrentes?
.. pesquisar entre os seus clientes o que "eles" acham que são seus pontos fortes e fracos e qual é a opinião deles (se existente) sobre seus concorrentes ?
.. definir/redefinir seus públicos-alvo (que segmentos/nichos poderão mais se beneficiar do uso do seu software) e estudar "muito bem" os problemas que estes segmentos/nichos têm?
.. definir/redefinir onde seu software mais ajuda o cliente (definição de que métricas acompanhar) e passar a levantar as métricas de resultado de uso do seu software comparando momentos pré e pós implantação (coleta das métricas em sí, em percentuais ou números absolutos em reais, quantidades ou medida de tempo)?
.. definir/redefinir seu programa d…

Solte... e siga...

Solte o que não mais lhe estimula.
Solte quem não mais lhe estimula.
Solte a parte de você que se recusa a soltar o que e quem não mais lhe estimula.

Siga...

O sofisticado que depende do básico

Pessoa A no treinamento do software: "Devemos preencher todos os campos da tela."
Pessoa B no treinamento do software: "Ok."

Pessoa A no acompanhamento do uso inicial do software: "Devemos preencher todos os campos da tela."
Pessoa B no uso inicial do software no dia-a-dia: "Depois eu preencho isso."

Já viveu isso? Já viu isso acontecendo? Eu já, muitas vezes, por muitos anos.. Pela síndrome da falta de tempo, o que o usuário não julga importante ou não tem o dado fácil, à mão, para registrar não será registrado. Tracinhos preencherão campos com consistências de erro, campos livres ficarão em branco.. Resultado? Os "dados", grande riqueza a ser tratada pelos nossos sistemas, podem ficar incompletos ou incorretos..

Em entrevista no Wall Street Journal, Dennis K. Berman fala sobre os sistemas que "podem digerir bilhões de dados e analisá-los por meio de algorítmos que se adaptam e preparam as conclusões para uso imediato".&quo…

Expectativas que se realizam

Até onde a forma como tratamos alguém determina o que ele(a) será? "Não o trate como ele é, trate-o como você gostaria que ele fosse", já ouviu isso? Até onde isso é verdade e pode mudar a tendência de um destino de uma pessoa?

Janeiro, 1o. dia útil, tempo de renovação e novos começos, e esse tipo de questão volta novamente. Até onde alguém que é tratado como um vencedor, ou alguém que é tratado como um perdedor, se torna um? O que é estímulo (ou desestímulo) para uns pode não ser para outros, o que muda a vida de uns pode não mudar a vida de outros, mas a impressão que tenho é que uma série de pequenos estímulos, repetidos, sempre ouvidos, e comprovados pela observação, dão segurança (ou insegurança, se o estímulo é negativo) à pessoa, que se torna mais ousada para tentar criar, inovar.

Esses estímulos podem vir dos pais, dos professores, dos companheiros, dos amigos, dos filhos, de recém-conhecidos, mas também devem vir da própria pessoa.. dela para ela mesma... Esse auto-…